24 de outubro de 2014

Lucro da Americana Boeing salta 18%, empresa eleva novamente projeção


Boeing divulgou um crescimento de 18 por cento no lucro trimestral e elevou sua projeção de lucro para o ano inteiro pela terceira vez, refletindo a crescente demanda por aeronaves comerciais.
A companhia teve lucro de 1,36 bilhão de dólares, ou 1,86 dólar por papel, para o terceiro trimestre encerrado em 30 de setembro, uma alta ante 1,16 bilhão de dólares, ou 1,51 dólar por ação, um ano antes.
O lucro principal, que exclui alguns custos de pensão e outros, subiu para 2,14 dólares por ação ante 1,80 dólar por papel. A receita avançou 7 por cento para 23,78 bilhões de dólares.
As entregas de aviões comerciais subiram 9 por cento para 186. Para 2014, a companhia disse esperar que seu o lucro principal fique entre 8,10 e 8,30 dólares por ação, uma elevação ante a projeção anterior de entre 7,90 e 8,10 dólares por papel.
Fonte: Reuters

22 de outubro de 2014

Embraer Legacy 500 recebe certificação da FAA


Embraer informou nesta terça-feira que o jato executivo Legacy 500 recebeu a certificação da Federal Aviation Administration (FAA), autoridade aeronáutica dos Estados Unidos, o que permite o início das operações da aeronave naquele país ou em lugares que requerem essa homologação.
O Legacy 500 recebeu a certificação da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) em agosto e aguarda a aprovação da European Aviation Safety Agency (EASA), agência europeia para segurança da aviação, ainda este ano, disse a Embraer em comunicado.

O Legacy 500 é um jato executivo da categoria midsize e a entrega para o primeiro cliente foi realizada em 10 de outubro. Em 2014, serão produzidas até seis aeronaves.
Fonte: Exame

Agência Espacial Brasileira quer estimular jovens a conhecerem projetos aeroespaciais


A Agência Espacial Brasileira pretende estimular os jovens a conhecerem as atividades aeroespaciais e, para isso, deve abrir em seu site um espaço apresentando todos os projetos desenvolvidos por ela junto a universidades e instituições parceiras.
Segundo a Agência, o foco da página é promover a educação, o desenvolvimento tecnológico e a formação de recursos humanos na área de engenharia espacial. O espaço online, chamado E2T (sigla para "Educação, Espaço e Tecnologia"), apresenta projetos como os nanossatélites NanosatBR1, AESP-14, Projeto Serpens, ITASat e UbatubaSat.

"Permitir que diferentes instituições, juntamente com a AEB, possam se envolver com o programa espacial brasileiro vai fazer com que possamos aumentar o número de jovens que se interessam pela atividade espacial", afirmou o secretário executivo do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Alvaro Prata.
Fonte: Ministério da Ciência Tecnologia e Inovação

Embraer e Comando da Aeronáutica apresentaram o KC-390 em SP

O KC-390 é a maior aeronave já fabricada no Brasil, segundo a empresa. O evento contou com a presença do Ministro da Defesa, Celso Amorim.




A Embraer e o Comando da Aeronáutica apresentaram, nesta terça-feira (21), o primeiro protótipo do avião de transporte militar KC-390 produzido na fábrica de Gavião Peixoto (SP). Essa é a maior aeronave fabricada no Brasil, segundo a empresa. O evento teve a presença do Ministro da Defesa, Celso Amorim. O acordo entre a Força Aérea Brasileira (FAB) e a fabricante brasileira de aviões prevê a aquisição de 28 aeronaves ao longo de dez anos - a primeira entrega está programada para 2016.

Com a apresentação, a companhia poderá realizar testes em solo antes do primeiro voo da aeronave, previsto para ocorrer até o final deste ano. Segundo o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro Juniti Saito, o KC-390 será a espinha dorsal da aviação de transporte da FAB. "Ele poderá operar tanto na Amazônia quanto na Antártica. As turbinas a jato conferem bastante agilidade à aeronave, que cumprirá todas as missões, mas muito mais rápido e melhor”, afirmou por meio da assessoria de imprensa.

Após o evento, a aeronave vai continuar com as avaliações iniciais de sistemas e, em seguida, com o primeiro acionamento do motor, os testes de vibração em solo e demais ensaios planejados. O avião é o primeiro de dois protótipos que serão usados nas campanhas de desenvolvimento, testes de solo, testes de voo e certificação.

A partir de 2016, os aviões vão substitutir a frota de aviões Hércules, que são usados atualmente. "Eles [os Hércules] estão fazendo 50, 60 anos e estão merecendo uma justa aposentadoria, no mundo inteiro. [O KC-390] é um avião de última geração. Eu diria que não é só o maior avião produzido no Brasil, provavelmente é o maior projeto de avião produzido no hemisfério sul. É um avião que vai ter grande importância militar, transporte de tropas, reabastecimento em voo, mas também para a Defesa Civil, para evacuações médicas, incêndios. É um grande passo que o Brasil e a Embraer estão dando e também é um passo importante em termos de cooperação internacional de uma maneira positiva", disse o ministro Amorim.

O avião
O KC-390 é um projeto da FAB com a Embraer para produção de um avião de transporte militar tático e reabastecimento em voo que representa um avanço significativo em termos de tecnologia e inovação para a indústria aeronáutica brasileira. Ele começou a ser desenvolvido em 2009, na unidade da Embraer em Gavião Peixoto.

A aeronave é projetada para estabelecer novos padrões em sua categoria, com menor custo operacional e flexibilidade para executar uma ampla gama de missões: transporte e lançamento de cargas e tropas, reabastecimento aéreo, busca e resgate e combate a incêndios florestais, entre outras. "Vou dar como exemplo o vírus ebola. A partir do momento que você tem uma aeronave capaz de atender uma emergência dessa com mais rapidez, maior capacidade de carga, você consegue completar essa missão com muito mais segurança", disse o chefe do escritórios de projetos da FAB, Brigadeiro José Augusto Crepaldi.

Com turbinas a jato, o KC-390 ppode alcançar a velocidade de 850 km/h. Uma aeronave poderá decolar de Brasília e chegar sem escalas a qualquer capital brasileira com 23 toneladas de carga, sua capacidade máxima. Nas asas, o avião poderá levar até 23,2 toneladas de combustível. Além de alimentar as próprias turbinas, também será possível fazer o reabastecimento em voo (REVO) de outros aviões ou helicópteros. É por isso que a aeronave é chamada de KC: C de Carga e o K de tanker, ou reabastecedor, em inglês. O KC-390 também terá a capacidade de ser reabastecido em voo por outras aeronaves. 

O compartimento de carga tem 18,54 metros de comprimento, um pouco maior que uma quadra de vôlei. A largura é de 3,45 metros e a altura é de 2,95 metros. O espaço é suficiente para acomodar equipamentos de grandes dimensões, além de blindados, peças de artilharia, armamentos e até aeronaves semi-desmontadas.Também poderão ser levados 80 soldados em uma configuração de transporte de tropa, 64 paraquedistas, 74 macas mais uma equipe médica ou ainda contêineres, carros blindados e outros equipamentos.

Produção em série
No dia 20 de maio deste ano, a Embraer e a Força Aérea Brasileira assinaram o contrato de produção em série para a entrega de 28 aeronaves KC-390 e suporte logístico inicial. Além da encomenda FAB, existem atualmente intenções de compra de outros países totalizando 32 aeronaves. Um hangar em Gavião Peixoto foi inaugurado para a linha de montagem.

O contrato para produção em série prevê investimento de R$ 7,2 bilhões. Mais de 1,5 mil trabalhadores se envolveram diretamente no projeto, além de mais de 50 empresas brasileiras participaram do desenvolvimento do cargueiro. A Embraer tem negociações para a venda do KC-390 no exterior. Há intenções de compra do pela Argentina, Chile, Colômbia, Portugal e República Tcheca.



Fonte: G1

21 de outubro de 2014

Funcionários da Embraer iniciam greve de 24 horas a partir de hoje 21/10/2014


Cerca de 7 mil dos 12 mil trabalhadores dos setores produtivo e administrativo da Embraer, em São José dos Campos (SP), iniciaram nesta terça-feira, 21, uma greve de 24 horas por um reajuste de 10% nos salários, ante uma proposta de 6,6% da companhia.
A greve acontece no mesmo em que a Embraer apresenta, na unidade de Gavião Peixoto (SP), interior paulista, o protótipo do cargueiro militar KC-390.
"Por enquanto, a greve é de 24 horas, mas amanhã (22) faremos uma votação na assembleia. Se a empresa não fizer proposta, não avançar em nada e se os trabalhadores decidirem que devem continuar, seguiremos em greve", disse o vice-presidente do Sindicato, Herbert Claros da Silva.
Ele lembra que a data-base da categoria foi em 1º de setembro e as negociações entre os trabalhadores e a Embraer seguem há quase dois meses sem conclusão.
A paralisação ocorre ainda no dia anterior ao pagamento da primeira parcela da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) de 2014 pela Embraer. Cada trabalhador receberá um valor fixo de R$ 912,31 e mais 12,44% sobre o salário, valor considerado baixo pelo sindicalista.
"Um trabalhador que ganha R$ 10 mil, por exemplo, vai receber pouco mais de R$ 3 mil de PLR. Na General Motors, aqui perto, com todos os problemas, a PLR é de R$ 16 mil", disse Silva, se referindo ao complexo industrial da montadora em São José dos Campos.
Segundo o vice-presidente do sindicato, a Embraer passa ainda por um "processo de desnacionalização de seus aviões" e o próprio KC-390 seria um exemplo dessa política da companhia.
"Muitas partes desses aviões serão feitas nos Estados Unidos e em Portugal", disse Silva. O governo federal investirá R$ 7,2 bilhões no do cargueiro militar, com a compra de 28 unidades.
O sindicalista alerta ainda que a busca pela Embraer de componentes para os aviões em outros países atinge fornecedores da companhia na região do Vale do Paraíba. Em Jacareí, a fábrica C&D, que já empregou mais de 180 funcionários, terminará o ano com apenas 35 na produção
Já Latecoere do Brasil, na mesma cidade, deixará de produzir a fuselagem dos Embraer 190 e 195 a partir de 2017, cujas peças virão dos Estados Unidos, e pode encerrar as atividades.
Fonte: O Estadão

Airbus A350 voará distância recorde com apenas um dos motores


Airbus recebeu autorização para que seu A350 voe mais de seis horas com apenas um dos dois motores no caso de uma falha, uma certificação importante que permite que o jato de longo percurso voe em qualquer rota de passageiros.
A Agência Europeia para a Segurança da Aviação (Easa, na sigla em inglês) concedeu ao jato da Airbus a certificação de alcance estendido, conhecida como "Etops", para "além de 180 minutos", mas permitirá que pilotos voem com os A350 por até 370 minutos caso um motor seja desligado, disse a Airbus.
As regras de operações estendidas determinam o tempo máximo de voo pelo qual jatos com apenas um motor funcionando podem se afastar do aeroporto mais próximo durante qualquer ponto da viagem, de modo que possam voltar com segurança caso o outro motor também falhe.
O tempo máximo determina as rotas em que os modernos jatos com dois motores podem voar sobre áreas desertas e oceanos, e portanto é vista como crucial para as propostas de vendas das aeronaves.
O tempo máximo de desvio do A350, de seis horas e 10 minutos, confirma uma notícia anterior da Reuters.
O tempo equivale a uma distância máxima de desvio de 2.500 milhas naúticas (4.630 quilomêtros), um recorde da indústria, disse a Airbus. O Boeing 787 Dreamliner tem autorização para operar por 330 minutos com apenas um motor, mas a diferença entre as duas categorias é vista amplamente como sendo de marketing, já que ambos os jatos têm margem suficiente para operar na maioria das rotas comerciais.
Fabricantes de aeronaves e motores dizem que desligamentos dos motores durante um voo são extremamente raros e que jatos raramente precisam fazer desvios por distâncias tão longas. No entanto, fabricantes precisam demonstrar que uma aeronave pode voar por longos desvios e as companhias aéreas tem que provar que possuem o treinamento adequado para se preparar para este cenário. O Airbus A350 deve entrar em serviço até o final do ano.
Fontes: Tim Hepher e Alwyn Scott da Reuters / Julia Carvalho da Exame / Imagem: Airbus

20 de outubro de 2014

A Mitsubishi Aircraft fabrica jato comercial e entra na briga por segmento altamente competitivo


Ao som de tambores e um coral de crianças, a Mitsubishi Aircraft lançou neste sábado o primeiro jato comercial do Japão em meio século, com plano de vender mais de 2 mil aeronaves num mercado altamente competitivo.
Desenvolvido por uma subsidiária da Mitsubishi Heavy Industries tem a Toyota como acionista, o jato regional de 42 milhões de dólares, com menos de 100 assentos, é o segundo lance do Japão para entrar no mercado de aviões comerciais.
"Este tem sido um sonho de longa data que todo o Japão esperou", disse o presidente da Mitsubishi Heavy, Hideaki Omiya, numa fábrica em Nagoya, o local do lançamento, há 75 anos, do protótipo de um avião de combate da Segunda Guerra Mundial.
A cerimônia começa uma corrida para completar os testes de vôo antes da primeira entrega da aeronave em junho de 2017 para a ANA Holdings. A meta já está três anos atrasada em relação ao inicialmente planejado.
O Japão falhou em sua última tentativa de entrar no mercado de aviões comerciais em 1960, com um turboélice de 64 lugares apelidado o YS-11. Apenas 182 aviões construído por um consórcio que incluiu Mitsubishi Heavy já foram feitas.
Agora, a Mitsubishi já tem 191 pedidos firmes de clientes incluindo US grupos regionais Trans States Holdings e SkyWest , e Japan Airlines.
Analistas dizem que o número é menor do que as centenas de aviões que precisa vender para chegar ao lucro e muito atrás do que precisa para competir com a líder de mercado, a brasileira Embraer.
O maior argumento de venda do MRJ, diz a Mitsubishi, é sua capacidade de usar um quinto a menos de combustível do que aviões de tamanho similar, graças a motores de nova geração da Pratt & Whitney, subsidiária da United Technologies.
O orçamento para desenvolvimento é de cerca de 1,8 bilhão dólares e inclui custos dos atrasos até agora.
Mitsubishi, que também quer desafiar a canadense Bombardier, estima demanda por 5 mil jatos regionais nos próximos 20 anos, dos quais pretende capturar metade. O problema da Mitsubishi é o volume acima de mil encomendas de aviões da Embraer, junto com uma reputação estabelecida de financiamento, confiabilidade e serviço pós-venda, disse Richard Aboulafia, vice-presidente de análise da consultoria Teal Group.
Após o MRJ entrar em cena, a Embraer disse que vai atualizar seu E-Jets com os mesmos motores Pratt & Whitney eficientes sob o nome E2, e serão entregues a partir de 2018 um ano após o MRJ.
A Mitsubishi tem mais chance de deslocar Bombardier, que tem grande aposta no desenvolvimento de suas CSeries para entrar no mercado de aeronaves de 150 lugares à custa de seus jatos regionais CRJ, disse Aboulafia.
Competências obtidas no programa YS-11 levaram a Mitsubishi Heavy e outras empresas a forjar laços com a Boeing, passo importante para o retorno de uma indústria desmantelada durante a ocupação americana após a Segunda Guerra Mundial.
Fonte: Exame

19 de outubro de 2014

Excalibur S: míssil que pode assumir o posto de mais preciso do mundo


O site DoD Buzz, especializado em assuntos militares, noticiou recentemente que a Raytheon realizou os primeiros testes com o míssil Excalibur S em Yuma Proving Grounds, no estado do Arizona, que será fornecido para as Forças Armadas e a Marinha dos EUA.
A arma é a segunda geração da sua linha, a qual foi considerada uma das mais precisas já criadas, e é guiada através de um mecanismo laser. Assim, o míssil consegue atingir também alvos móveis, algo que o seu antecessor não podia devido ao uso de uma tecnologia de orientação por GPS.
Conforme informado por Paul Daniels, líder de desenvolvimento da Raytheon, o Excalibur S consiste em uma bomba de 155 milímetros capaz de atingir um alvo a até 40 km de distância com uma margem de erro de menos de dois metros. Em outras palavras, basta um tiro para que o alvo seja destruído. E essa precisão tem impacto direto na redução do tempo e do custo de logística tradicionalmente associados ao uso de munições de artilharia.
Dados mais precisos sobre o desempenho do Excalibur S ainda não foram veiculados, mas os resultados do modelo antecessor já impressionavam. O Excalibur, míssil guiado por GPS, teve mais 750 projéteis disparados e em uma avaliação ocorrida entre os dias 4 e 7 de dezembro de 2013 marcou 27 de 30 pontos ao acertar seus alvos a mais de 33 km de distância com uma variação de precisão de no máximo 1,6 metro. No vídeo acima, você confere essa arma pioneira em ação.
Fonte:
  • Raytheon (YouTube)
  • Raytheon
  • DoD Buzz
  • 18 de outubro de 2014

    Vídeo mostra como ser o verdadeiro mestre da pilotagem no game GTA V


    Se você estiver viajando calmamente de carro dentro de um túnel e ver um jato vindo na sua direção, não se assuste: provavelmente você está dentro de Grand Theft Auto V e algum louco acaba de dar uma voltinha pela cidade com seu novo brinquedo. Mas, se depender do usuário do YouTube Mario4LYF3, passar nesse lugar apertado sem bater em nada é apenas um dos truques que ele pode fazer com esse veículo de pura precisão.
    E não estamos falando de manobras fáceis. No vídeo abaixo, o exímio piloto dá incríveis voltas por baixo da ponte com o jato virado para baixo, viaja pela cidade com o veículo empinado e até mesmo atravessa apertadíssimos espaços que dariam arrepios em qualquer um que fosse tentar isso na vida real. Haja precisão nesses controles, não?
    Fonte: Mario4LYF3 (YouTube)

    LUXO, Mordomos usam fraque em suítes de US$ 20.000 da Etihad Airways


    Os tripulantes de cabine da Etihad Airways que receberam treinamento como mordomos no prestigioso Hotel Savoy, de Londres, usarão fraque e luvas brancas de algodão em sua nova função: mimar alguns dos passageiros mais ricos do mundo nas aeronaves superjumbo da empresa aérea.
    Treze “mordomos voadores” concluíram um curso de três semanas de etiqueta, protocolo, habilidades de valet e serviços de concierge e estão prontos para atender passageiros naquela que será a cabine mais luxuosa da indústria de aviação comercial, a The Residence, que custará US$ 20.000 por viagem e compreende três ambientes, com cama de casal, sala de estar e box com chuveiro.
    A Etihad está lançando o produto de luxo em seus primeiros A380 de dois andares em um momento em que a terceira maior companhia aérea do Golfo Pérsico disputa os passageiros que compram as passagens mais caras com a Emirates, a operadora número 1 do avião da Airbus Group, com a Qatar Airways e com rivais internacionais, incluindo a Singapore Airlines.
    Os mordomos eram anteriormente chefs ou gestores de alimentos e de bebidas a bordo e foram submetidos a treinamentos e experiência de trabalho no Savoy, além de instrução na London School of Hospitality and Tourism.
    A Suíte Real do hotel, com duas camas, custa 12.000 libras (US$ 19.000) por noite.
    “Os mordomos aéreos oferecerão um nível de serviço que nenhum passageiro jamais experimentou na aviação comercial”, disse Aubrey Tiedt, vice-presidente de serviços ao cliente da Etihad, que tem sede em Abu Dhabi, ontem em um comunicado.
    Os 13 tripulantes, 11 homens e duas mulheres, são os únicos na Etihad a vestir fraque marrom e luvas brancas, usadas para lustrar talheres, e combinarão “a discrição de um tradicional mordomo inglês com a eficiência de um assistente pessoal do século 21”, disse o chefe dos mordomos do Savoy, Sean Davoren, que comandou o curso.
    Jato privado elegante
    O primeiro A380 da Etihad entrará em serviço comercial na rota Abu Dhabi-Londres no dia 27 de dezembro.

    Com o superjumbo somando-se à frota anos após sua estreia em outras companhias aéreas de alto padrão, o CEO James Hogan disse que as cabines premium dos aviões tomarão emprestados conceitos das viagens em jatos privados com o objetivo de causar o maior impacto possível.
    Além da cabine The Residence, os aviões A380 terão nove “apartamentos” de primeira classe no deck superior, que Hogan diz que serão 74 por cento maiores que atualmente, com uma cama totalmente horizontal e uma poltrona reclinável estilo lounge separada.
    Entre os clientes dos produtos premium, que também podem ser fretados em bloco, estariam famílias ricas e delegações de governos, diz ele.
    Os 10 aviões A380 encomendados, incluindo três com entrega em 2015, também servirão rotas como Nova York, Paris, Sydney e Melbourne. A Etihad provavelmente necessitará de mais mordomos para toda a frota, disse a porta-voz do Savoy, Charlotte Faith.
    A Emirates, que tem sede em Dubai, conta com o A380 desde 2008, com cerca de 50 aviões na frota e um total de 140 encomendados.
    A Qatar Airways comprará 10 aviões, sendo que o primeiro iniciou as operações na rota Doha-Londres na semana passada e mais dois têm previsão de começar neste ano.
    O CEO Akbar Al Baker disse, em uma cerimônia de entrega na base da Airbus em Toulouse, que prefere uma abordagem conservadora para os padrões de serviço nas cabines premium e que a empresa “fará o suficiente para manter a classe -- e ser lucrativa”.
    Fonte: Exame

    CLIQUE NA IMAGEM E VISITE NOSSA LOJA .... OBRIGADO !!!