P-40 encontrado no deserto após 70 anos de sua queda é considerado ‘cápsula do tempo’

02.11.15 - 16:29
19.747 Views

Conservado pelo deserto

De acordo com informações do conhecido diário britânico Daily Mail, um Kittyhawk P-40, avião de caça da RAF (Força Aérea Britânica), utilizado na época da Segunda Guerra, teria sido descoberto em condições razoáveis no deserto do Saara, após 70 anos de sua queda.

O piloto britânico teria sobrevivido ao acidente, mas possivelmente, faleceu ao tentar sair do deserto. Diversas imagens mostram que o avião foi encontrado em estado quase perfeito de conservação, já que se encontraria naquele local desde 1942.

Sabe-se que o seu ocupante, o sargento Dennis Copping e outro piloto, foram incumbidos de levar duas aeronaves danificadas Kittyhawk P-40 a partir de uma base aérea britânica, situada no norte do Egito, até outra base, para que fossem reparadas.

Em junho de 1942, durante a Segunda Guerra Mundial, este Kittyhawk estaria sendo pilotado pelo sargento Dennis Copping. O militar britânico era filho de um dentista de Southend e foi considerado perdido na época. O avião estava situado a centenas de quilômetros da civilização e em meio ao calor ardente do deserto africano.

‘Cápsula do tempo’

De acordo com informações divulgadas pelo Daily Mail, o avião foi considerado por especialistas como uma “cápsula do tempo”, pois sofrera poucos danos durante o impacto e teria sido quase perfeitamente preservado pelas areias do Saara.

O noticioso explicou que a aeronave monolugar, que desceu a cerca de 200 milhas da cidade mais próxima, teria sido encontrada por um trabalhador polonês de uma companhia petrolífera, que realiza exploração naquela região remota do deserto ocidental egípcio.

Graças ao seu interior intacto, poderiam surgir agora mais informações sobre o seu desaparecimento e outros detalhes.

Ao lado da aeronave, teria sido encontrado um abrigo improvisado, feito com o tecido do paraquedas, possivelmente, usado pelo piloto Copping para se proteger do sol, enquanto aguardava por um possível resgate.

Abaixo, algumas imagens do P-40 (clique para ampliar)



Durante a campanha contra Rommel, no Norte de África, o sargento Copping estava lotado numa unidade de caças sediada no Egito. Acredita-se que rolamentos foram perdidos durante o voo, o que teria danificado o Kittyhawk e forçado a sua descida em meio ao deserto. Entretanto, fato na época é que o avião saiu do curso original e nunca mais foi localizado.

Passados mais de 70 anos, o avião permaneceria quase intocável, pois até mesmo as suas armas e munições teriam sido encontradas e depois apreendidas por militares egípcios, que alegaram motivos de segurança.

As placas de identificação do Kittyhawk P-40 estão intactas, permitindo que os pesquisadores rastreiem a sua origem e histórico de serviço.

Na área da queda, equipamentos de controle e comunicação do avião estariam espalhados ao seu redor.

Segundo a fonte, especialistas em aviação e historiadores iniciaram uma operação para recuperar e exibir o P-40, em homenagem à memória de Dennis Copping.

Museu da RAF

O historiador Andy Saunders declarou ao Daily Mail sobre o achado, “É uma cápsula do tempo absolutamente incrível. Para a aviação, esse achado equivale à tumba de Tutankhamon. Este avião esteve estacionado no mesmo lugar onde caiu faz 70 anos e não enterrado na areia”, comentou o especialista.

Saunders acredita que o piloto deva ter sobrevivido ao acidente, “Porque uma foto mostra um paraquedas ao redor do avião e meu palpite é que o pobre sujeito o usou para se abrigar do sol. O rádio e as baterias estavam fora do avião e por isso, parece que ele tentou fazê-los funcionar”, observou.

Para ele, o piloto Dennis Copping poderia ter morrido enquanto tentava deixar o deserto, “Se ele tivesse morrido ao lado da aeronave, seus restos teriam sido encontrados. Depois que ele caiu lá, ninguém foi buscá-lo. É mais provável que ele tentou sair do deserto, mas acabou caminhando para a morte, o que é horrível de se imaginar”, afirmou.

Foram constatadas diversas perfurações de balas na fuselagem da aeronave. No entanto, não há comprovação de que os danos tenham ocasionado a sua queda. É provável que o piloto sofrera problemas mecânicos durante o voo e, por isso, teria sido obrigado a executar um pouso forçado naquela zona erma.

Em busca de Copping

Após a descoberta da aeronave, o capitão Paul Collins, adido britânico de Defesa para o Egito, confirmou que uma pesquisa seria montada para tentar buscar os restos mortais do aviador num raio de algumas milhas do local, embora admitisse como “extremamente improvável” o sucesso dessa empreitada.

Collins informou que o local se situa próximo a uma área de contrabando, próxima ao Sudão e Líbia, considerada de muita violência. “Vamos precisar do exército egípcio para chegar ao local, porque aquela é uma área perigosa”, declarou Collins.

Ian Thirsk, servidor do Museu da RAF, confirmou que uma equipe já trabalha com o Ministério da Defesa para a recuperação do histórico avião.

Ele também afirmou que, após a retirada da aeronave, o local da queda deverá receber o marco de um túmulo guerra. Ainda de acordo com a reportagem do Daily, alguns moradores da região teriam subtraído pequenas peças ou pedaços da aeronave para guardar como souvenires.

Munido de metralhadoras em suas laterais, o caça P-40 era uma aeronave projetada para executar ataques ao solo. Esse modelo foi superado pelos eficientes caças alemães e, embora tenha participado de poucos combates na Europa, os P-40 desempenharam um papel chave em combates realizados no norte da África e na Ásia.

Atualmente, restam somente cerca de 20 aeronaves Kittyhawk P-40, que se encontram em perfeitas condições de navegabilidade.

Há controvérsias

A notícia divulgada pelo portal do Daily Mail em meados de maio de 2012, sobre o achado de uma aeronave britânica da época da Segunda Guerra no Saara foi recebida com desconfiança por alguns pesquisadores e simpatizantes da aviação.

Há quem afirme que o achado foi super valorizado e até que possa se tratar de um “hoax” ou uma “conspiração”, já que algumas análises das imagens apontariam a algumas incongruências. Entre estas, estariam diversos detalhes do achado e, sobretudo, o fato de jamais ter se encontrado o corpo do oficial britânico.

A falta do mastro para a antena de comunicação também foi notada por alguns pesquisadores, já que o rádio de comunicação estava do lado de fora e parece ter sido usado pelo piloto, na tentativa de pedir socorro.

Além disso, alguns alegam que, durante sete décadas, sob um clima intenso, a aeronave não poderia estar em tão perfeito estado de conservação, conforme mostram as imagens. Isso, considerando que o Kittyhawk P-40 esteve permanentemente sob um sol escaldante durante o dia e um frio intenso à noite.

Embora o Daily Mail tenha fornecido diversos dados sobre os envolvidos no resgate dessa aeronave britânica, há quem vá mais longe e creia que as imagens do avião no deserto possam ter sido adulteradas ou montadas pelo conhecido software Photoshop. Também foi sugerido que a aeronave teria sido colocada propositalmente naquele local, em tempo recente.

Outro detalhe observado pelos mais céticos é que não foram encontradas as mangueiras que integram o motor ou os tecidos que revestiam a cauda, por suposto fato de tais materiais terem se decomposto pelas ações do inconstante clima desértico durante os últimos 70 anos. No entanto, há quem alegue que estes materiais sejam mais resistes do que a seda do paraquedas encontrado no chão e próximo à aeronave.

Fonte: Daily Mail (UK)
Fotos: Jakub Perka/BNPS – via Daily Mail (UK)
Colaborador: José Ildefonso P. de Souza.
Vídeo: Diogo Assunção / Youtube

Publicidade:
Tags
,

Piloto Comercial de Avião, formado pelo Aeroclube do Brasil, Fundador do Norte Verdadeiro, escritor nas horas vagas, aficionado por cinema, tecnologia e fotografia, completamente apaixonado por tudo que voa e pela magia de voar.