A Situação Atual do Mercado de Trabalho para o DOV e a Questão do Estágio nas Escolas de Aviação

23.03.17 - 11:00
2.150 Views

Por Ricardo Rizzini

Caros leitores, primeiramente, desculpem a longa ausência. Alguns de vocês recentemente solicitaram este tema, logo hoje iremos falar justamente sobre isso : a situação do atual mercado de trabalho, especificamente o do DOV, assim como a dificuldade da questão do estágio para aqueles que concluem o curso de DOV.

Primeiramente vamos falar sobre a atual situação do mercado de trabalho. O DOV tem uma característica profissional muito peculiar quando o assunto é a sua recolocação profissional. Uma situação bilateral, aonde existe, por um lado, uma grande vantagem e no outro lado uma desvantagem. A grande vantagem é a escassez de mão de obra. Sabemos que somos poucos, basta olhar no banco de dados da ANAC para ver quantos DOV ́s temos, especialmente os ativos. Quando uma empresa aérea abre processo seletivo, é normal ela ter um numero de vagas praticamente iguais ao de candidatos. A concorrência é pequena, o que aumenta a chance de êxito do candidato. Porém tem o outro lado da moeda. Se a concorrência não é lá muito grande, a oferta de vagas é pequena. As empresas aéreas abrem vagas às vezes uma vez ao ano, uma única seleção no ano inteiro.

Tendo em mente essa “Bilateralidade de Mercado” do DOV, chegamos ao cenário atual. É notório que a crise econômica no Brasil trouxe danos a todos os segmentos, e com a aviação não foi diferente. As empresas tiveram que diminuir frequências e até cancelar rotas. E menos voos na malha significa menos trabalho para o DOV, o que por sua vez diminui a oferta de trabalho. Essa baixa oferta fez com que o DOV de “primeiro emprego”, que geralmente está fora de empresa aérea, fique sem vaga para concorrer. Pois com a diminuição de oferta, as empresas aéreas passam a suprir a pouca demanda que aparece com funcionários internos da própria empresa. É costumeiro nos setores de atendimento ao passageiro (Check-In, sala de embarque e rampa) terem colaboradores que tem o curso e falta apenas o estágio. Outro problema é o DOV que tem dois empregos. Duas vagas como DOV. O que legalmente não pode acontecer, pois o DOV extrapola o tempo máximo de trabalho e o mínimo de descanso por jornada de trabalho. Conheço DOV ́s que mantiveram dois empregos por anos, e eles mesmos reconhecem que é muito puxado. Atualmente as empresas aéreas combatem essa prática, como na GOL por exemplo aonde DOV ́s dois empregos tem de escolher qual empresa aérea vão ficar. Esta atitude da empresa é correta, pois um DOV que tem dois empregos geralmente está cansado e pode prejudicar sua saúde, desempenho na função ou até a segurança de voo. Regras laborais existem para ser cumpridas.

Sendo assim, cabe ao DOV ampliar, diversificar e se preparar. Estudar e estar apto, pois as empresas aéreas hoje aplicam provas de 10 a 20 questões no processo seletivo, questões que nada deixam a desejar das que se encontra na prova de módulo II da ANAC. E ampliar, na busca de empresas cargueiras ou terceirizadas como as de Guarulhos e Viracopos. Hoje, apenas ter a licença não basta. E um processo seletivo pode aparecer de repente e para o dia seguinte o que tira o tempo do candidato para se preparar. Um candidato precisa estar preparado para enfrentar algo no nível de modulo II, com questões de Meteorologia, Regulamentos e CTA do módulo I da ANAC. Esta é a melhor dica que posso deixar.

Agora vamos à questão do estágio.

Primeiramente, temos que saber de onde vem esse requerimento. O RBHA-65, gênese da regulamentação do DOV no ordenamento jurídico Brasileiro, traz em seu artigo 65.53 item (6) a conclusão de estágio como requerimento para a licença de Despachante Operacional de Voo e o próprio item (6) remete ao artigo 65.57 – Requisitos de Experiência e Treinamento no item (c). O problema, é que esta norma não é eficaz. Ela gera um enorme obstáculo ao aluno. Como não se pode obrigar que a empresa aérea aceite estagiário, caso ele não consiga a vaga fica sem poder fechar o ciclo de formação. Se a ANAC mantivesse com as empresas um programa de estágio-aprendiz para estes alunos a situação seria outra, mas isso não ocorre. Do jeito que está, o aluno fica vendido, pois está sujeito a vontade da empresa para obter uma licença para a qual estudou e se dedicou mais de ano. Então o que fazer?

Esta questão precisa ser levada a ANAC, órgão que detém legitimidade para resolver o problema. A escola não pode impor e a empresa não é obrigada a ceder estágio. Se o problema todo é oriundo de uma norma vigente, cabe a ANAC resolver. Os alunos precisam se estruturar e se organizar, com um representante para defender seus interesses.

Para concluirmos a conversa, vemos que o mercado anda em baixa, mas com uma luz no fim do túnel. Cabe aos profissionais já qualificados estarem preparados e atentos as vagas, mesmo as não “costumeiras”, e ao aluno do curso de DOV não desistir, se formar e buscar a resolução da questão frente a ANAC.

Grande abraço a todos !

Tags

Despachante Operacional de Voo desde 2007 com passagens pela “Engenharia de Operações” e “Standards & Compliance” da empresa GOL, Bacharel em Aviação Civil e MBA em Gestão de Pessoas pela Universidade Anhembi Morumbi, Instrutor de aviação – PP/PC/Comissários e atua há 14 anos na aviação civil brasileira.